Dia-a-dia, Política

Essa crueldade não tem limites

Acredito que desde que me conheço por gente nosso país nunca teve onda de ódio tão grande como está acontecendo agora. Parece ser um novo tipo de crueldade jamais visto por aqui, e não se trata de sadismo (Prática sexual que consiste em obter prazer com a dor e o sofrimento de outra pessoa; prazer experimentado com o sofrimento alheio; crueldade extrema), é apenas um descaso, a vontade de fazer o mal, mata-se por nada, destrói o outro como se pisasse em uma formiga. Não tem ideologia, fé, loucura, raça, nada, apenas a morte gratuita, sem nome.
No oriente tem um motivo maluco para explicar a matança dos infiéis, de quem não pensa como eles. Aqui não, mata-se por qualquer banal, mata-se por causa da falta de amor que sente por si mesmo, mata-se pela miséria que vive internamente, e agora mata-se pelo terrorismo desorganizado a mando de chefes de gangues dentro das prisões.
Isso tudo está acontecendo parece sem explicação mas vejo o motivo. É o reflexo da falta de patriotismo. Esses fatos acontecem em decorrência da nossa política que virou um circo, os escândalos que assistimos boquiabertos. Já não é mais impunidade ou falta de lei, é um vazio politico e cultural. É uma falta de sentidos para maldade. O país não tem mais projetos, a política virou um balé de mentiras. Ai um bando de sem o que fazer sai nas ruas de madrugada e matam os outros por diversão, até para acharem que tem superpoderes. O pior de tudo é que todos nós assistimos isso como um filme e não fazemos nada diante da crueldade do dia a dia.
Uma vez o filósofo Oswaldo Giacoia Jr disse: “O insuportável não é só a dor, mas a falta de sentido da dor, mais ainda, a dor da falta de sentido.”