Dia-a-dia

Movimento de manada: Black Friday

‘Black Friday’ no Brasil tem apagão de sites e maquiagem de preço

Terceira edição da versão brasileira do evento de compras resulta em milhares de reclamações e insatisfação de clientes

FONTE: http://veja.abril.com.br/noticia/economia/black-friday-brasil-tem-apagao-de-sites-e-maquiagem-de-preco

O Black Friday foi criador por varejistas nos EUA para uma grande ação de vendas anual após o feriado de ação de graças, que é considerado um dia especial para reunir a família e os amigos e celebrar o bem estar de todos, a fraternidade, os valores espirituais etc.
Ai depois de toda essa celebração amigável todos se afundam num poço de desprezo e passam uma madrugada nas portas das lojas, formando filas que dobram quarteirões, e olha que nessa época tá um frio desgraçado. Depois de passarem horas na fila e a porta se abre vira um caos total. Vira um verdadeiro movimento de manada, um movimento irracional. Essas pessoas que estão nas filas não tem consciência do que estão fazendo. São interesses impossíveis de se descrever. Exceto algumas, como alguém que vai casar e está montando a casa, ai acaba aproveitando os descontos. Grande parte está imerso nessa sociedade de consumo, e o Black Friday é o que esses valores, essas oportunidades ficam exacerbadas. É impressionante quando as portas das lojas se abrem, é uma correria insana, é gente caindo no chão e não sendo socorrida, da corrida para ver quem chega primeiro ao item para poder levar. Um inferno por causa de um objeto.

Agora nesta terceira edição do Black Friday Brasil, foi praticamente uma réplica da versão original. Foi um apelo publicitário imenso chamando para o nosso Black Friday, que acabou em muitos casos sendo um Black Fraude por conta da má fé de alguns lojistas.
A verdade que estamos mergulhados num poço muito profundo. Brigar de tirar sangue por causa de um determinado produto que naquele dia está mais barato chega a soar como piada, mas acontece. É um verdadeiro consumo inconsciente. Nunca nos perguntamos porque compramos o produto. Não temos consciência dos impactos sociais e ambientais que isso causa.
Não precisamos deixar de consumir, até porque é impossível viver sem consumir. Mas devemos deixar a excessividade de lado. Consumir sem exagero. Criar essa consciência é fundamental para revertermos o quadro instável que nosso planeta vive hoje em todos os sentidos.
Nossos valores estão extremamente empobrecidos. E só vamos mudar esse jogo quando nossos valores mudarem.