Dia-a-dia

O novo tipo de comércio

Catarina Migliorini, a jovem que resolveu leiloar sua virgindade

Por que uma catarinense de 20 anos decidiu leiloar sua virgindade a um desconhecido

FONTE: http://revistaepoca.globo.com/Primeiro-Plano/noticia/2012/10/catarina-migliorini-jovem-que-resolveu-leiloar-sua-virgindade.html

http://virginswanted.com.au/catarina-BID.html

Um novo tipo de comércio chega ao mercado mundial e brasileiro baseado na mais antiga profissão do mundo. As prostitutas sempre se vendiam para dar prazer aos necessitados. E na maioria das vezes (exceção das ninfomaníacas) elas faziam isso pra comer, sobreviver. Sem trocadilhos, elas davam duro com a dignidade de um trabalho honesto. Mas agora nossa sociedade consumista está ficando louca, e muitas “sem o que fazer” bem de vida querem uma falsa-liberdade que acreditam que as prostitutas tem, pois nem tem noção da luta que essas mulheres vivem diariamente. As pessoas querem ser coisas, sim coisas. Muitas mulheres querem ser como uma batedeira. Que gire, rebole, rebole sem sofrer. Muita mulher gosta de ser chamada de avião.  Muito homem se acha macho como uma Ferrari, acha que tem uma metralhadora entre as pernas. Vivemos para consumir, matamos para consumir. Mas além de querer ser tudo, ainda querem ter sucesso. Não basta só ter, quer ter e aparecer. Essa jovem que vende sua virgindade para pagar seus estudos e afirma que o corpo é dela e faz o que quiser. Agora tudo é negócio. Vender o hímen é um negócio como outro qualquer. E por pior que pareça é algo comum sim. Fazemos tanta coisa que damos como comum onde se submetemos a venda de nós mesmos. E esse leilão da virgindade está dando certo. O leilão já está em 520 mil reais, que um americano ofereceu. E ainda pode aumentar, pois ainda tem 7 dias de leilão. É incrível como as pessoas não se satisfazem com todos os objetos a venda, carros, vestidos, calçados. Querem mais e mais. Por isso fazem o corpo de objeto e põem a venda numa vitrine. De acordo com o site a virgem perderá seu status em um avião voando fora de fronteira de países para não ter problemas com as leis. O mais impressionante é a tranquilidade com que as pessoas fazem as maiores loucuras que acabam deixando de ser loucura e viram algo normal. Mas acho que eu que estou errado em me impressionar. Nós não nos impressionamos mais com nada. A moça vai ser dá bem, sem trocadilhos.