Educação

Nós somos todos iguais!

Universidades de SP descartam cotas

Mesmo após o Supremo Tribunal Federal (STF) decidir pela legalidade das cotas raciais, a USP não pretende adotar o sistema. Em 2009, quando assumiu a reitoria da USP, João Grandino Rodas afirmou que as cotas seriam “discutidas” no Conselho Universitário, mas o assunto só foi falado de forma marginal durante debate para reforma do programa de inclusão de alunos de escolas públicas na instituição…

NOTICIA COMPLETA/FONTE: http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,universidades-de-sp-descartam-cotas-,866276,0.htm

Toda vez que vier um processo seletivo para o ensino superior vai acontecer essa discussão. Quando vamos resolver isso tudo? Seria tão fácil voltar no tempo e nem criar essa inferiorização de parte da população, ou simplesmente cota como muitos chamam e acha justo e necessário. É comprovado que todos nós temos a mesma capacidade, nem os grandes gênios da humanidade chegaram ao sucesso porque tinham um poder a mais ou algo sobrenatural. Eles chegaram nesse ponto porque se esforçaram, demonstraram interesse em chegar aonde chegaram. Criatividade não é dom e sim visão. Vontade de enxergar o problema e até mais, é querer enxergar a solução para esse problema e colocá-lo em prática. Viver na pobreza não quer dizer que você não tem oportunidades. Sempre terá uma biblioteca a disposição de todos. Seja onde for terá pelo menos um professor que te incentive a um futuro melhor. Aos poucos todos vão abrir os olhos na terra da justiça cega e ver que cotas não vai mudar nada, é só um tapa buraco. Em vez de investir em cotas que tal criar palestras, textos ou até mesmo mostrar a realidade para nossas crianças e adolescentes para que eles tomem consciência da realidade que vivem para depois criar o espírito de guerreiro. Para mudarem a situação deles e de nosso país. Cotas raciais é sem discussão, babaquisse.

Calouros participam de aula na USP; ao assumir, reitor afirmou que discutiria cotas